segunda-feira, 23 de março de 2009

EDUCAÇÃO TRADICIONALISTA

ANTIGÜIDADE ORIENTAL: A EDUCAÇÃO TRADICIONALISTA

Nas sociedades orientais, ao se criarem segmentos privilegiados, a população, composta por lavradores, comerciantes e artesãos, não tinha direitos políticos nem acesso ao saber da classe dominante.
A princípio o conhecimento da escrita é bastante restrito, devido ao seu caráter sagrado e esotérico. Tem início, então, o dualismo escolar, que destina um tipo de ensino para o povo e outro para os filhos dos funcionários e restringida à educação familiar informal. A grande massa é excluída da escola


CARACTERISTICAS DA EDUCAÇÃO NO EGITO ANTIGO



 Escolas funcionaram nos templos e em algumas casas e foram freqüentadas por pouco mais de 20 alunos cada uma;
 Predomínio do processo de memorização;
Uso constante de castigos.
 Escolas de Mênfis, Heliópolis ou Tebas – formaram escribas de categoria elevada: funcionários administrativos e legais, médicos, engenheiros e arquitetos.
 Conteúdos ensinados: informações práticas: cálculo da ração das tropas em campanha, número de tijolos necessários para uma construção, complicados problemas de geometria associados à agrimensura, grande conhecimento de botânica, zoologia, mineralogia e geografia.



ATIVIDADE EXTRA CLASSE




Os acadêmicos do 1º Período do curso de PEDAGOGIA, da FASAM, na disciplina HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO I, estudam neste momento, as civilizações orientais e a educação tradicionalista. Neste conteúdo, destacamos algumas particularidades da educação no Antigo Egito.
Procurando incentivar a busca de maiores informações sobre tão importante civilização, estivemos desenvolvendo uma atividade extra classe, em visita monitorada ao Museu do Antigo Egito, na última sexta-feira, dia 20/03/09, das 19:00 às 21:00 hs.
Nosso objetivo foi demonstrar alguns aspectos da civilização egípcia, buscando uma compreensão maior sobre as características da educação existente àquela época.
O Museu Itinerante Mistérios do Antigo Egito apresenta grandes novidades da cultura egípcia. O idealizador do projeto Maisur Musa traz alguns utensílios e o cenário de uma câmara mortuária. É Uma exposição com 90 peças entre múmias, sarcófagos, estatuetas de Deuses e Faraós, utensílios e papiros que prometem uma verdadeira aula de história às pessoas que desejam conhecer de forma prática e divertida a história do povo egípcio.
A visita foi muito interessante e possibilitará uma reflexão maior sobre o conteúdo estudado.

Um comentário:

  1. é muito bacana descobrir fatos passados pois possibilita uma melhor análise do presente. o egito por exemplo e fascinante e convém pesquisar e ver como de fato eles lidavam com a educação.

    ResponderExcluir